Sobre se importar e depois ver que não devia (ou: Pra que tudo isso, meu Deus? )

Engraçado a importância que tem as situações quando estamos dentro delas… um clima pesado no trabalho, uma briga se formando no horizonte, pessoas puxando o tapete de outras, sentenças como “nunca confie em ninguém”. Parece sério, parece estratégico, parece Game of Thrones e até um pouquinho de Big Brother: formar alianças, conseguir lideranças, fazer parceria com as pessoas certas, tomar cuidado com os próprios passos.

Meu Deus, como a vida é uma bobagem!
Até que ponto isso realmente importa? Em que medida importa mais do que um dia com os amigos, dormir com o meu amor, dar risada com a minha mãe, matar as saudades da minha irmã, comer comidas gostosas, ler um livro interessante, assistir filmes legais?
Seria eu cínica, niilista, preguiçosa ou só um pouco desiludida da vida?
Existe cura ou só aceitação de que as opções são apenas duas: entrar nessa Guerra dos Tronos estúpida em troca de aprovação de um chefe velho testamento style e caçar a importância de coisas desimportantes ou passar 10 horas do meu dia esperando as outras 14 para existir de verdade?
(Ou ainda mais uma opção: seria esse o desabafo de uma pessoa muito privilegiada que pode se dar ao luxo de achar tudo uma grande babaquice pois tem poucas contas pra pagar, nenhum filho pra criar, um salário baixo o suficiente pra se abrir mão e nenhuma aspiração vocacional?)
QUESTIONAMENTOS.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s